1º Retiro Anual do TropiKMan PhD

O 1º Retiro Anual do programa doutoral em Saber Tropical e Gestão – Tropical Knowledge and Management – TropiKMan PhD, referente à 1ª edição do programa, teve lugar no passado dia 1 de Julho, na 1t.pngNovaSBE, contando com a presença dos alunos do programa e de vários membros do seu corpo docente, bem como da direcção do programa, para além de outros convidados, como o CEO da Fundação Portugal-África e um membro do conselho de acompanhamento externo do TropiKMan PhD.

O Programa do dia incluiu apresentações de colaboradores da Nova SBE, ISA-ULisboa e IHMT.

Carlos Reis Marques, Nova SBE, falou sobre a “Value Creation Wheel” (VCW) que fornece as bases para uma metodologia iterativa e circular para resolução de problemas com base em soluções flexíveis, criativas e inovadoras, actuando ao nível dos produtos, processos, disseminação e organização e que a qualquer momento pode ser adaptada a novas circunstâncias. Esta estratégia relaciona-se ainda com a integração, cooperação e participação de vários actores e tecnologias a um nível local mas com possíveis impactos a um nível mais amplo.

Fig-1-DIANA-VCW's-theoretical-framework.jpg

 Value Creation Wheel: Innovation, technology, business, and society (accessed July 26, 2016). Available from: https://www.researchgate.net/publication/302553288_VCW_Value_Creation_Wheel_Innovation_technology_business_and_society

Luís Mira Silva fez uma apresentação sobre empreendedorismo e inovação, baseada na INOVISA, incubadora de empresas do ISA-ULisboa, como potenciadora de novas empresas, através do aconselhamento de programas de financiamentos disponíveis, no apoio ao desenvolvimento do modelo de negócio e no acompanhamento dos primeiros anos da nova empresa.

Ana Afonso, do IHMT, apresentou o seu trabalho com o vírus Zyka, em que pretende criar um kit para identificação rápida e simples da infecção com o vírus, através de experiências para criar variedades resistentes ao fármaco actualmente em uso.

Maria Manuel Romeiras, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, fez uma apresentação sobre a biodiversidade nos trópicos e o seu papel na descoberta de novos de medicamentos, onde foi abordado o papel primordial das plantas como fonte de princípios activos para a cura de doenças, sublinhando o imenso manancial de plantas medicinais que ainda está por descobrir nas zonas tropicais.

Da discussão que se seguiu, foi abordada a questão da descoberta de novos compostos activos para elaboração de medicamentos que, na maioria das vezes, não traz benefícios às populações locais. Estas têm um papel preponderante na conservação de certas espécies e são muitas vezes fonte de informação sobre a fitoterapia.

 O ponto forte deste dia foi a apresentação das propostas de investigação dos estudantes, cuja implementação terá início no próximo ano lectivo. De referir que, de acordo com os objectivos do TropiKMan PhD, todos os trabalhos estão focados na realidade local de cada estudante, pelo que serão desenvolvidos em parceria entre Moçambique e Portugal. Segue-se uma breve descrição destas propostas:

2t.png

  1. Aires Mbanze: Valorização Económica dos Serviços Ambientais, com os objectivos principais, abordagem metodológica e cronograma.
  2. Ana Gomes: Gestão de culturas e análise das variedade de leguminosas mais produtivas, em termos genéticos e nutritivos no contexto moçambicano. Para além da caracterização genética e análise nutricional, a tese irá centrar-se também em questões sócio-económicas de adopção de certo tipo de variedades/espécies.
  3. Gefra Fulane: Aplicação da VCW às ciências médicas, nomeadamente nas doenças de HIV&AIDS e Cancro Cervical, que têm pouca ou nenhuma atenção nos actuais objectivos traçados pelo sistema nacional de saúde, apesar da sua prevalência em Moçambique.
  4. Ivete Maquia: Gestão sustentável do fogo em habitats específicos de espécies de árvores de leguminosas.
  5. João Chunga: Análise cadeias de valor da banana e do frango. A análise combinará uma perspectiva económica com as “lean tools”,para levantar e ultrapassar os seus constrangimentos.
  6. Paulo Guilherme: Transferência de tecnologia na cultura do arroz em Moçambique: da investigação ao campo de cultivo. Irá identificar os constrangimentos na transferência do conhecimento produzido e propor soluções para os ultrapassar.
  7. Valter Nuaila: Desenvolvimento de ferramentas moleculares para identificação de genes resistentes a doenças provocadas por fungos e bactérias.

As apresentações foram seguidas de inquirição e sugestões pelo corpo docente presente, permitindo aos estudantes a recolha de sugestões de revisão e enriquecimento das suas propostas.

3t

Para mais informações: Panfleto Informativo do TropiKMan PhD disponível em Inglês

 

Anúncios

Dia 1 de julho: 1º Retiro Anual do TropiKMan PhD – 1st Annual Retreat of TropiKMan PhD

Participe! É gratuito, apenas precisa de confirmar presença para  flo_phd@novasbe.pt, até dia 28 de junho.

 

image002

Newsletter Maio

Newsletter_maio

Mais duas bolsas para a 2ª edição do TropiKMan PhD

A cooperação Portuguesa, em parceria com o IRRI, abre candidaturas para duas bolsas no âmbito do TropiKMan PhD. Consulte aqui o edital Edital_TKM_IRRI_2016

Abertura de 7 bolsas para o TropiKMan PhD

Encontra-se aberto concurso para atribuição de sete (7) Bolsas de Doutoramento no âmbito do TropiKMan PhD, doutoramento FCT, em Saber Tropical e Gestão (Tropical Knowledge and Management) acolhido pela Nova School of Business and Economics (Nova SBE) http://www.novasbe.unl.pt/pt/programs/phd-in-tropical-knowledge-and-management/tropikman-program .

Edital Edital_TKM_FCT2016final (2)

TropiKMan PhD na perspectiva do Prof Amílcal Salumbo (FCA-UJES)

O programa doutoral em Saber Tropical e Gestão – TropiKMan PhD – arrancou no passado mês de outubro. Para esta primeira edição, foram seleccionados 7 alunos Moçambicanos, docentes de diferentes universidades de Moçambique.
De 24 a 27 de novembro, o Prof Amilcar Salumbo, da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos – Angola, esteve no ISA-ULisboa, a colaborar no módulo Trends in Agronomics and Environment for Tropical Regions.
A Doutora Ana Portugal Melo, coordenadora científica do TropiKMan PhD, entrevistou o parceiro Angolano.
O TropiKMan PhD é oferecido pela Nova SBE, em parceria com o ISA-ULisboa, IHMT, FCSH, UJES, UEM, UniCV e UPretória.
http://www.novasbe.unl.pt/en/programs/phd-in-tropical-knowledge-and-management/tropikman-program

O TropiKMan PhD visto pela Prof Natasha Ribeiro (FAEF-UEM)

 

O programa doutoral em Saber Tropical e Gestão – TropiKMan PhD – arrancou no passado mês de outubro. Para esta primeira edição, foram seleccionados 7 alunos Moçambicanos, docentes de diferentes universidades de Moçambique.
De 1 a 4 de dezembro, a Prof Natasha Ribeiro, da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal da Universidade Eduardo Mondlane – Moçambique, esteve no ISA-ULisboa, a colaborar no módulo Trends in Agronomics and Environment for Tropical Regions.
A Prof Manuel Correia, coordenador do ISA-ULisboa para o TropiKMan PhD, entrevistou a colega Moçambicana.
O TropiKMan PhD é oferecido pela Nova SBE, em parceria com o ISA-ULisboa, IHMT, FCSH, UJES, UEM, UniCV e Pretória.
http://www.novasbe.unl.pt/en/programs/phd-in-tropical-knowledge-and-management/tropikman-program

Outras notas da cerimónia de abertura e o interesse da imprensa nacional – 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique

A cerimónia oficial de abertura do 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique contou com as intervenções da Vice-Ministra da Agricultura de Moçambique, do representante da FAO no país e do director do IIAM.

workshop_nativas.011

O representante da FAO junto da CPLP esteve ainda presente na sessão de encerramento. Todos reconheceram o enorme potencial e importância das fruteiras nativas em termos de segurança alimentar e nutricional, papel na medicina tradicional, valor cultural nas comunidades, relevância ambiental, e oportunidades de desenvolvimento económico. Tanto o MINAG como a FAO congratularam-se com a realização deste workshop e manifestaram o seu apoio a iniciativas que visem valorizar e explorar as fruteiras nativas de Moçambique e os seus produtos.

workshop_nativas.056

O animado diálogo multisectorial estabelecido durante os 2 dias de workshop dá a garantia que o interesse pelas fruteiras nativas está bem vivo. A enorme vontade de valorizar este recurso, de forma sustentável, para o bem-estar da população foi bem patente, o que assegura a organização de um novo sector para alavancar o desenvolvimento socio-económico.

Este evento teve eco na comunicação social, como demonstração do interesse que produziu no seio da sociedade Moçambicana:

http://www.miramar.co.mz/Noticias/Frutas-nativas-em-debate-no-pais

http://www.fao.org/portugal/noticias/detail/en/c/329232/

http://www.agrotec.pt/noticias/mocambique-organiza-i-workshop-nacional-de-fruteiras-nativas/

http://www.minag.gov.mz/index.php?option=com_content&view=article&id=237:2015-08-04-14-31-42&catid=36:eventos&Itemid=58

http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/ciencia-e-ambiente/42879-pais-reflecte-sobre-frutas-nativas-e-seu-valor-global

http://infodiario.co.mz/articles/detail_article/17082

Saber mais em: https://wnfruteirasnativas2015.wordpress.com/

Centro de Biotecnologia da Universidade Eduardo Mondlane orienta teses do Mestrado em Biotecnologia em parceria com instituições Portuguesas

A participação de Portugal em acções de formação avançada em Agrobiotecnologia, em Moçambique, tem vindo a ser consolidada no âmbito da Cooperação Portuguesa, através de fundos do Camões e quota Portuguesa para o CGIAR, alocada ao IRRI.

IMGP1207

Neste ano de 2015, decorrem três dissertações de Mestrado em co-orientação:

Milton Pinho – Estudo da diversidade genética de acessos de batata-doce (Ipomoea batatas (L) Lam) do banco de germoplasma de Moçambique, usando marcadores SSR (Orientação: Ana Ribeiro, IICT; Manuela Veloso, INIAV; Ivete Maquia e Ivone Muocha, CB-UEM);

Jossias Duvane – Caracterização do metaboloma de duas leguminosas lenhosas, Brachystegia bohemii e Colophospermum mopane, sujeitas a diferentes regimes de fogo (Orientação: Carla António, ITQB/UNL, Ana Ribeiro, IICT; Ivete Maquia, CB-UEM);

Jaqueline Figueiredo – Caracterização genética do parvovírus canino e avaliação do estado de protecção da população canina de Maputo (Orientação: Gertrudes Thompson, ICBAS/UP; José Fafetine, CB-UEM).

Este tipo de parcerias reveste-se da maior importância para as instituições envolvidas, nomeadamente pela oportunidade de mobilidade de docentes, investigadores e estudantes, maior abrangência das temáticas de investigação, alargamento do leque de fontes de financiamento e internacionalização das equipes envolvidas (através de publicações e comunicações). Os resultados da investigação resultante das dissertações terão aplicação na resolução de questões agrícolas, ambientais ou de saúde pública, colocando os dois países ao mais alto nível das cooperações internacionais para o desenvolvimento e espelhando o valor que o conhecimento gerado pode prestar à formação e capacitação institucional e à promoção da excelência científica no espaço da CPLP.

IMG_3606

IICT participa na “Semana de Ciências da vida em prol de Desenvolvimento Sustentável” em Maputo

O Departamento de Ciências Biológicas da Faculdade de Ciências da Universidade Eduardo Mondlane organizou, em parceria com o Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT), a Semana das Ciências da Vida em Prol do Desenvolvimento Sustentável. O evento contou com o patrocínio da Cooperação Portuguesa através de fundos do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, e do Instituto Nacional de Investigação do Arroz (IRRI).

Cartaz do evento.
Cartaz do evento.

As atividades decorreram entre os dias 18 e 22 de Maio, no Jardim Botânico Universitário, e incluíram no seu Programa:

  • O Dia Internacional do Fascínio das Plantas (18.05.2015)
  • O Dia da Biodiversidade (22.05.2015)
  • Lançamento do Programa de Ciências e Progresso (18 a 22.05.2015)

A celebração destas datas tem como principal propósito fazer com que um maior número possível de pessoas em todo o mundo desperte para o fascínio das plantas e para a importância do seu estudo na melhoria da agricultura e produção sustentável de alimentos e de bens não alimentares, como o papel, madeira, medicamentos, entre outros, assim como sobre a importância das plantas na conservação do meio ambiente.

Sessão de abertura do evento em Maputo.
Sessão de abertura do evento em Maputo.
Atelier no evento: “O fascínio das sementes”.
Atelier no evento: “O fascínio das sementes”.

A equipa do IICT, composta pelas investigadoras Ana Fortunato, Ana Ribeiro-Barros, Inês Graça, Isabel Moura e Paula Batista Santos, colaborou nesta iniciativa através de:

– Formação de um técnico e um investigador moçambicanos, em Portugal (Abril de 2015);

– Co-organização das atividades a desenvolver no Programa de Ciências e Progresso;

– Preparação, inauguração e realização de ateliers científicos.

Plantação de árvores no jardim botânico de UEM.
Plantação de árvores no jardim botânico de UEM.