Competências Sociais para Docência no Ensino Superior na FCA-UJES

No passado dia 8 de março, teve início o 1º Curso de Formação para Monitores e Assistentes Estagiários da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos. Este 1º curso, que conta com 35 alunos, começou com o módulo Competências Sociais para Docência no Ensino Superior, leccionado pelo Instituto Superior de Agronomia – Universidade de Lisboa.

As primeiras sessões deste módulo, que continuará em maio, focaram a importância da capacidade do docente interagir com a turma, as características de uma comunicação efectiva, como preparar uma aula ao nível da comunicação, conteúdo e suporte. Enfatizaram-se ainda as características da docência ao nível do ensino superior e a exigência que lhe está associada, nomeadamente ao nível do rigor, da actualidade do conteúdo, que deve estar devidamente documentado com recurso a referências locais e internacionais, e da necessidade de desenvolver nos alunos o pensamento crítico a par da aquisição de conhecimentos técnicos.

O ambiente académico foi, também, considerado um factor a trabalhar, designadamente no que respeita à interacção entre os docentes das diferentes disciplinas, à realização de seminários regulares para discutir desenvolvimentos recentes nas diferentes temáticas das ciências agrárias. O envolvimento de docentes e alunos em projectos científicos que acompanhem a actividade lectiva é um factor adicional que favorece a qualidade do ensino superior. Os referidos projectos, para além d FCA, deverão envolver outras instituições nacionais e internacionais relevantes no sector agrário.

FCA-Marco2016

Anúncios

TropiKMan PhD na perspectiva do Prof Amílcal Salumbo (FCA-UJES)

O programa doutoral em Saber Tropical e Gestão – TropiKMan PhD – arrancou no passado mês de outubro. Para esta primeira edição, foram seleccionados 7 alunos Moçambicanos, docentes de diferentes universidades de Moçambique.
De 24 a 27 de novembro, o Prof Amilcar Salumbo, da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos – Angola, esteve no ISA-ULisboa, a colaborar no módulo Trends in Agronomics and Environment for Tropical Regions.
A Doutora Ana Portugal Melo, coordenadora científica do TropiKMan PhD, entrevistou o parceiro Angolano.
O TropiKMan PhD é oferecido pela Nova SBE, em parceria com o ISA-ULisboa, IHMT, FCSH, UJES, UEM, UniCV e UPretória.
http://www.novasbe.unl.pt/en/programs/phd-in-tropical-knowledge-and-management/tropikman-program

O TropiKMan PhD visto pela Prof Natasha Ribeiro (FAEF-UEM)

 

O programa doutoral em Saber Tropical e Gestão – TropiKMan PhD – arrancou no passado mês de outubro. Para esta primeira edição, foram seleccionados 7 alunos Moçambicanos, docentes de diferentes universidades de Moçambique.
De 1 a 4 de dezembro, a Prof Natasha Ribeiro, da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal da Universidade Eduardo Mondlane – Moçambique, esteve no ISA-ULisboa, a colaborar no módulo Trends in Agronomics and Environment for Tropical Regions.
A Prof Manuel Correia, coordenador do ISA-ULisboa para o TropiKMan PhD, entrevistou a colega Moçambicana.
O TropiKMan PhD é oferecido pela Nova SBE, em parceria com o ISA-ULisboa, IHMT, FCSH, UJES, UEM, UniCV e Pretória.
http://www.novasbe.unl.pt/en/programs/phd-in-tropical-knowledge-and-management/tropikman-program

Instalação dos ensaios de variedades de Arroz resistente à secura na Ilha de Santiago

O projeto de investigação para a introdução de variedades de Arroz resistente à secura, na Ilha de Santiago, realizado no âmbito de uma parceria entre o INIDA o ISA-ULisboa e o IRRI, conheceu uma nova etapa. No passado mês de setembro, o Prof Arlindo Lima, do ISA-ULisboa, deslocou-se a Santiago – Cabo Verde, para participar dos trabalhos do INIDA na preparação e sementeira dos campos experimentais de arroz.

Com esta experiência, a parceria acima referida coloca a questão da rentabilidade e sustentabilidade da cultura de variedades de arroz adaptadas à secura, em Cabo Verde, tendo em consideração a escassez de água disponível na Ilha de Santiago e a importância do arroz na alimentação dos Cabo-Verdianos.

Partilhamos algumas imagens dos trabalhos realizados e esperamos dar mais notícias em breve.

Diapositivo1 Diapositivo2 Diapositivo3

Outras notas da cerimónia de abertura e o interesse da imprensa nacional – 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique

A cerimónia oficial de abertura do 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique contou com as intervenções da Vice-Ministra da Agricultura de Moçambique, do representante da FAO no país e do director do IIAM.

workshop_nativas.011

O representante da FAO junto da CPLP esteve ainda presente na sessão de encerramento. Todos reconheceram o enorme potencial e importância das fruteiras nativas em termos de segurança alimentar e nutricional, papel na medicina tradicional, valor cultural nas comunidades, relevância ambiental, e oportunidades de desenvolvimento económico. Tanto o MINAG como a FAO congratularam-se com a realização deste workshop e manifestaram o seu apoio a iniciativas que visem valorizar e explorar as fruteiras nativas de Moçambique e os seus produtos.

workshop_nativas.056

O animado diálogo multisectorial estabelecido durante os 2 dias de workshop dá a garantia que o interesse pelas fruteiras nativas está bem vivo. A enorme vontade de valorizar este recurso, de forma sustentável, para o bem-estar da população foi bem patente, o que assegura a organização de um novo sector para alavancar o desenvolvimento socio-económico.

Este evento teve eco na comunicação social, como demonstração do interesse que produziu no seio da sociedade Moçambicana:

http://www.miramar.co.mz/Noticias/Frutas-nativas-em-debate-no-pais

http://www.fao.org/portugal/noticias/detail/en/c/329232/

http://www.agrotec.pt/noticias/mocambique-organiza-i-workshop-nacional-de-fruteiras-nativas/

http://www.minag.gov.mz/index.php?option=com_content&view=article&id=237:2015-08-04-14-31-42&catid=36:eventos&Itemid=58

http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/ciencia-e-ambiente/42879-pais-reflecte-sobre-frutas-nativas-e-seu-valor-global

http://infodiario.co.mz/articles/detail_article/17082

Saber mais em: https://wnfruteirasnativas2015.wordpress.com/

1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique

Realizou-se na Matola, nos dias 9 e 10 de Setembro, o 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique.

workshop_nativas.001

Tratou-se da 1ª reunião de actores deste sector com grande potencial para a economia Moçambicana, contando com mais de 100 participantes desde a academia aos institutos de investigação, dos empresários aos produtores de fruta.

O trabalho de caracterização e análise das fruteiras nativas iniciou-se em 2013, numa colaboração entre o ex-IICT, hoje integrado no ISA-ULisboa, o IRRI, o IIAM, a UEM, a VIDA e a Frutisul. Neste contexto, foi feito um levantamento das fruteiras nativas em Moçambique: existências e aplicações, potencial nutritivo e económico.

O jornalista e escritor Calane da Silva, orador de sapiência na cerimónia de abertura, referiu-se às plantas como “irmãos menores”, sublinhando a necessidade de uma ecologia integral, onde o ambiente e todos os seres vivos que o habitam estão em permanente comunicação: “a planta e a formiga, o rio e o hipopótamo ou o jacaré, a borboleta e as flores” e as próprias plantas entre si.

 

workshop_nativas.012

Reflectiu, também, como o homem se tem afastado das leis naturais e, logo, de si próprio, devido ao seu comodismo. Vivemos na tensão entre o “ser humano racional e o ser inhumano destruidor.” “Ao distanciarmo-nos da natureza, distanciamo-nos de nós mesmos.” “Destruímos, também, por ignorância.”

E deixou-nos esta questão: “Quem repõe o património natural que está a ser devastado por interesses económicos imediatos?”

workshop_nativas.020

Primeiro número do “Investigação Agrária para o Desenvolvimento com a África de Língua Portuguesa”

Foi lançado, ontem, em Maputo, diante do Embaixador de Portugal em Moçambique e durante o Workshop SKAN “Parcerias entre Moçambique e Portugal nos sectores agrícola, alimentar e florestal”, co-organizado pelo IIAM, UEM, IICT, INOVISA e FAO, 1º número do Boletim Informativo do Investigação Agrária para o Desenvolvimento com a África de Língua Portuguesa, editado pelo IICT, e que relata as suas actividades mais recentes de investigação para o desenvolvimento. Tendo como particular enfoque as parcerias com a África de Língua Portuguesa, estas colaborações estendem-se ao Benim, África do Sul, FARA e outras organizações sub-regionais.

Programas, projectos, parcerias, estado da arte… Descarregue, leia, comente, questione, colabore connosco, apoie-nos.

6Jornal_UNL

 

 

1º Workshop Nacional de Fruteiras Nativas – inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para participar no 1º Workshop Nacional de Fruteiras Nativas, a realizar a 9 e 10 de Setembro na Matola, Moçambique.

A inscrição é obrigatória e gratuita. As inscrições são pessoais e devem ser feitas unicamente de acordo com a informação disponibilizada no site do evento (https://wnfruteirasnativas2015.wordpress.com/) no separador “Inscrições”.

Data limite para inscrições: 15 de Agosto de 2015

Esperamos vê-lo em Setembro, na Matola!

Logo-WorkshopNativas