Relatório do Workshop de Maputo sobre Intensificação Sustentável dos Sistemas Milho/Leguminosas, no âmbito do ProIntensAfrica

Em anexos, o relatório do Workshop de Maputo sobre Intensificação Sustentável dos Sistemas Milho/Leguminosas, no âmbito do ProIntensAfrica:

Relatório completo em Português rel_workshop_Maputo_PT final

Resumo das principais conclusões em Inglês Executive summary of workshop maputo

Anúncios

Newsletter Maio

Newsletter_maio

Intensificação Sustentável dos Sistemas Milho/Leguminosas em Debate em Moçambique, numa iniciativa ProIntensAfrica

O ISA-ULisboa e o ARC-LNR, em parceria com o Instituto Superior Politécnico de Manica, organizaram um workshop de actores para identificar formas de intensificação sustentável em sistemas de cultivo de milho/leguminosas, enquadrados num Pequeno Estudo de Caso do WP2 do projecto ProIntensAfrica do H2020. Este contou com o apoio do IIAM, onde se realizou o encontro, SKAN, IRRI, Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Portugal) e da Cooperação Portuguesa e teve lugar na sede do IIAM.

Representantes da Investigação (IIAM), Academia (ISPM), Doadores (USAID) e Organizações Internacionais (FAO), a trabalhar nos sistemas de produção milho/leguminosas, reuniram-se com peritos do ProIntensAfrica para debater o que está a acontecer ao nível da transferência de tecnologia nestes  sistemas de cultivo, em Moçambique. Foram debatidos os desafios e oportunidades para a intensificação sustentável da agricultura, bem como o papel da extensão no apoio a estes sistemas. Do debate sobressaiu a necessidade de harmonizar o conceito de intensificação sustentável da agricultura e também a importância da inclusão de pequenos agricultores na elaboração de projetos de agricultura de conservação. As dificuldades na adopção deste tipo de tecnologias também foram identificadas.

A equipa organizadora irá elaborar o relatório deste workshop, que será compartilhado entre os participantes e entregue ao ProIntensAfrica, para ser incluído no seu relatório final.

 

 

English version

 

Sustainable intensification of maize/legume systems in debate in Mozambique, in a ProIntensAfrica initiative.

ISA-ULisboa and ARC-LNR in partnership with Instituto Superior Politécnico de Manica organized a workshop with Mozambican actors to identify ways for sustainable intensification of maize/legumes cropping systems, in the frame of a WP2 ProIntensAfrica Light Case Study. This was sponsored by IIAM, SKAN, IRRI, Fundação para Ciência e Tecnologia (Portugal) and the Portuguese Cooperation and took place at IIAM head quarters. 
Representatives of Research (IIAM), Academia (ISPM), Donors (USAID) and International Organizations (FAO), working in maize/legumes production, gathered with ProIntensAfrica experts to debate what is happening in technology  transfer in the maize/legumes cropping systems in Mozambique, and discuss the challenges and opportunities in sustainable intensification of agriculture. The role of extension in these systems was also tackled. Discussions faced the need to harmonize  the concept of sustainable agricultural intensification and recognized the importance of including smallholder farmers in the design of conservation agriculture projects. The difficulties to adopt these in adopting these type of technologies were also appointed.

The organizing team will elaborate a workshop report of the workshop to be shared among the participants and delivered to WP2 to be included in its final report.

Outras notas da cerimónia de abertura e o interesse da imprensa nacional – 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique

A cerimónia oficial de abertura do 1º Workshop de Fruteiras Nativas de Moçambique contou com as intervenções da Vice-Ministra da Agricultura de Moçambique, do representante da FAO no país e do director do IIAM.

workshop_nativas.011

O representante da FAO junto da CPLP esteve ainda presente na sessão de encerramento. Todos reconheceram o enorme potencial e importância das fruteiras nativas em termos de segurança alimentar e nutricional, papel na medicina tradicional, valor cultural nas comunidades, relevância ambiental, e oportunidades de desenvolvimento económico. Tanto o MINAG como a FAO congratularam-se com a realização deste workshop e manifestaram o seu apoio a iniciativas que visem valorizar e explorar as fruteiras nativas de Moçambique e os seus produtos.

workshop_nativas.056

O animado diálogo multisectorial estabelecido durante os 2 dias de workshop dá a garantia que o interesse pelas fruteiras nativas está bem vivo. A enorme vontade de valorizar este recurso, de forma sustentável, para o bem-estar da população foi bem patente, o que assegura a organização de um novo sector para alavancar o desenvolvimento socio-económico.

Este evento teve eco na comunicação social, como demonstração do interesse que produziu no seio da sociedade Moçambicana:

http://www.miramar.co.mz/Noticias/Frutas-nativas-em-debate-no-pais

http://www.fao.org/portugal/noticias/detail/en/c/329232/

http://www.agrotec.pt/noticias/mocambique-organiza-i-workshop-nacional-de-fruteiras-nativas/

http://www.minag.gov.mz/index.php?option=com_content&view=article&id=237:2015-08-04-14-31-42&catid=36:eventos&Itemid=58

http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/ciencia-e-ambiente/42879-pais-reflecte-sobre-frutas-nativas-e-seu-valor-global

http://infodiario.co.mz/articles/detail_article/17082

Saber mais em: https://wnfruteirasnativas2015.wordpress.com/

IICT participa na “Semana de Ciências da vida em prol de Desenvolvimento Sustentável” em Maputo

O Departamento de Ciências Biológicas da Faculdade de Ciências da Universidade Eduardo Mondlane organizou, em parceria com o Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT), a Semana das Ciências da Vida em Prol do Desenvolvimento Sustentável. O evento contou com o patrocínio da Cooperação Portuguesa através de fundos do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, e do Instituto Nacional de Investigação do Arroz (IRRI).

Cartaz do evento.
Cartaz do evento.

As atividades decorreram entre os dias 18 e 22 de Maio, no Jardim Botânico Universitário, e incluíram no seu Programa:

  • O Dia Internacional do Fascínio das Plantas (18.05.2015)
  • O Dia da Biodiversidade (22.05.2015)
  • Lançamento do Programa de Ciências e Progresso (18 a 22.05.2015)

A celebração destas datas tem como principal propósito fazer com que um maior número possível de pessoas em todo o mundo desperte para o fascínio das plantas e para a importância do seu estudo na melhoria da agricultura e produção sustentável de alimentos e de bens não alimentares, como o papel, madeira, medicamentos, entre outros, assim como sobre a importância das plantas na conservação do meio ambiente.

Sessão de abertura do evento em Maputo.
Sessão de abertura do evento em Maputo.
Atelier no evento: “O fascínio das sementes”.
Atelier no evento: “O fascínio das sementes”.

A equipa do IICT, composta pelas investigadoras Ana Fortunato, Ana Ribeiro-Barros, Inês Graça, Isabel Moura e Paula Batista Santos, colaborou nesta iniciativa através de:

– Formação de um técnico e um investigador moçambicanos, em Portugal (Abril de 2015);

– Co-organização das atividades a desenvolver no Programa de Ciências e Progresso;

– Preparação, inauguração e realização de ateliers científicos.

Plantação de árvores no jardim botânico de UEM.
Plantação de árvores no jardim botânico de UEM.

A rede SKAN-CPLP no “Científica Mente”, da RDP África

IIAM e INIDA e UNESP em Lisboa para participar no Workshop SKAN 2015: “Promover a colaboração internacional no sector agroalimentar”

No passado dia 26 de maio, teve lugar o Workshop SKAN 2015.  Representantes de instituições do Ensino Superior e Ciência e Tecnologia, do Sector Privado e da Sociedade Civil juntaram-se para partilhar conhecimento e experiências no sector agroalimentar, e consolidar e encontrar oportunidades de novos projectos e parcerias no Espaço CPLP. Para além de várias comunicações e mesas redondas, nomeadamente com a presença do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, o Escritório da FAO em Lisboa e o Secretariado Executivo da CPLP, bem como de representantes das Embaixadas de Angola, Brasil e Moçambique, houve intervenções de responsáveis do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário, Cabo Verde, do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique e da Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita e Filho”.

No final do evento, estes últimos, juntamente com o IICT e a INOVISA, foram entrevistados pela jornalista Ana Paula Gomes, da RDP África, para o programa “Científica Mente”. Descarregue e oiça aqui

https://www.dropbox.com/s/nawnvqn99y4dyly/cdn-ondemand.rtp.pt%3A.webloc?oref=e.

Primeiro número do “Investigação Agrária para o Desenvolvimento com a África de Língua Portuguesa”

Foi lançado, ontem, em Maputo, diante do Embaixador de Portugal em Moçambique e durante o Workshop SKAN “Parcerias entre Moçambique e Portugal nos sectores agrícola, alimentar e florestal”, co-organizado pelo IIAM, UEM, IICT, INOVISA e FAO, 1º número do Boletim Informativo do Investigação Agrária para o Desenvolvimento com a África de Língua Portuguesa, editado pelo IICT, e que relata as suas actividades mais recentes de investigação para o desenvolvimento. Tendo como particular enfoque as parcerias com a África de Língua Portuguesa, estas colaborações estendem-se ao Benim, África do Sul, FARA e outras organizações sub-regionais.

Programas, projectos, parcerias, estado da arte… Descarregue, leia, comente, questione, colabore connosco, apoie-nos.

6Jornal_UNL

 

 

“Avaliação frutícola e nutricional e potencial de conservação de frutos nativos para valorização e segurança nutricional” avança a bom ritmo

Continua a decorrer o projecto “Avaliação frutícola e nutricional e potencial de conservação de frutos nativos para valorização e segurança nutricional”, co-financiado pelo Fundo Nacional de Investigação de Moçambique (FNI) e pelo Programa FrutosNativos4SAN. A equipa inclui investigadores do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM), da Faculdade de Engenharias da Universidade Eduardo Mondlane (FE/UEM) e do Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT), que trabalham na avaliação laboratorial do valor nutricional e do potencial de conservação refrigerada em 3 espécies de fruteiras nativas (Uapaca kirkiana (massuco), Strychnos spinosa (massala), e Strychnus madagascarienesis (macuacua)) a 12ºC, 5ºC e 0ºC.

O IIAM/CIF (Centro de Investigação Florestal) foi responsável pela selecção de locais e árvores e pela colheita dos frutos. A metodologia de avaliação de qualidade foi optimizada pela FE/UEM e IICT, desde a colheita, passando pela preparação das amostras, até à realização das análises quantitativas de frutos inteiros e respectivas polpas, nomeadamente cor do fruto e da polpa; dimensões do fruto; peso do fruto; volume do fruto; percentagem de casca, polpa e sementes; acidez da polpa; pH da polpa; sólidos solúveis totais (ºBrix) da polpa; teor de humidade e actividade da água da polpa. Esta avaliação foi feita imediatamente à colheita e ao longo do tempo, nos diferentes regimes de temperatura.

A equipa da FE/UEM recebeu durante o mês de Março, dois investigadores do IICT que colaboraram no tratamento destes dados experimentais. Com base neste trabalho conjunto, está agora em curso a estimativa do diferencial de qualidade durante a conservação, para cada espécie e em cada temperatura.

Foi planeada uma acção de capacitação para dois técnicos Moçambicanos, em Portugal, a realizar no 2º trimestre de 2015, visando transferência de tecnologia em avaliação de qualidade nutricional com recurso a cromatografia líquida e espectrofotometria. Serão quantificados açúcares, vitaminas, minerais, e determinada a capacidade antioxidante nas mesmas amostras avaliadas quanto à sua composição.

nativos-blogueAvaliação físico-qúmica de frutos nativos: A) Determinação da cor da casca de frutos de Massala, B) Preparação de polpas de Maphilua, C) Determinação do volume de frutos de Massuco; D)Aspecto geral de frutos de Maphilua.

Foi ainda efectuada a colheita de Vangueria infausta (maphilua) e efectuada a caracterização físico-química dos frutos pré-conservação.