Sessões de treinamento em técnicas de produção de arroz para as FCA da UniLúrio e da UJES

Por Arlindo Matsinhe, técnico do IRRI

No âmbito da parceria entre o IRRI, Faculdade de Ciências Agrárias-UNANGO, Faculdade de Ciências Agrárias-HUAMBO, Instituto de Investigação Agronómica de Huambo e Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, que visa analisar o potencial e a adaptabilidade de variedades de arroz, foi realizado duas sessões de treinamento na Estação Agrária de Umbeluzi na provincia de Maputo. As duas sessões de treinamento tinham como objectivo capacitar os formandos na parte teórica e prática sobre as técnicas de produção de arroz, desde a sementeira até pós-colheita.

  • A primeira sessão de treinamento decorreu entre os dias 07 à 10 de Março de 2017 com participação de 3 formandos, sendo dois estudantes finalistas e um assistente universitário provenientes da Faculdade de Ciências Agrárias-UNANGO
  • A segunda sessão decorreu entre os dias 20 à 24 de Março de 2017 donde estiveram presentes dois técnicos e uma docente, sendo dois da FCA-Huambo e um do IIA.

 

Imagens dos treinos

Treino dos formandos do IIA e FCA-UJES, Angola. Ao alto, demonstração da altura da planta pela técnica da FCA; de cima para baixo, contagem dos números de filhos, prática da debulha das panículas e amostragem dos grãos cheios e chochos, foto familia dos formandos da FCA-Ujes e IIA com os formadores.

 

Treino dos formandos FCA-UniLúrio, Moçambique. Ao alto, medindo o comprimento das panículas; de cima para baixo, demonstração da selecção das 30 panículas como parte das componentes de rendimento;  contagem dos números de filhos, discussão entre os formandos e os técnicos do IRRI sobre algumas doenças de arroz, explanação das actividades de melhoramento levadas a cabo pelo IRRI.

Variedades de arroz do IRRI testadas em Angola

No âmbito da parceria ISA-ULisboa, FCA, IIA e IRRI, que visa analisar o potencial e a adaptabilidade de algumas variedades de arroz, foi realizado uma visita de trabalho em Angola na provincia de Huambo, entre os dias 07 e 11 de Novembro de 2016. Esta missão tinha como principal objectivo ajudar e trocar experiência com os técnicos do Instituto de Investigação Agronómica e da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos, na técnica de sementeira directa de variedades de arroz. Para além disso, houve treinamento dos agricultores locais nas técnicas de sementeira directa e marcação de linhas para sementeira de ensaios.

Nesta primeira fase da missão estiveram envolvidos dois técnicos do IIA e 8 agricultores enquanto que do lado da FCA estive um monitor e 12 agricultores.

Este trabalho foi realizado em dois campos de experimentação no IIA e FCA, tendo sido plantadas 12 variedades, das quais 10 vindas do IRRI e 2 locais usadas como testemunhas. Para cada local, plantaram se as 12 variedades para o sistema irrigado e sistema sequeiro.

Abaixo, as imagens sobre a capacitação da sementeira directa e marcação de linhas.

 

Campo de Ngoingoima (FCA): da esquerda para a direita e de cima para baixo – antes da sementeira, marcação das linhas, semeando, depois de semear, foto de grupo.

Campo da Chianga (IIA): antes da sementeira,  semeando, depois de semear, foto de grupo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

por Arlindo Matsinhe (técnico do IRRI)

Reforço das Associações de Produtores de mandioca, amendoim e hortícolas no Bungo, Uíge – LCN CDAIS-Angola

Entre os dias 26 e 28 de Outubro 2016, realizou-se no Bungo, província do Uíge, Angola, o levantamento de competências necessárias na parceria de inovação “Reforço das associações de produtores de mandioca, amendoim e hortícolas”, no âmbito do projecto CDAIS – Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários.

A parceria de inovação seleccionada relaciona-se com a implementação de um projecto-piloto, que teve início em 2013, sobre desenvolvimento integrado e sustentável, e inclui nas suas componentes o apoio ao empreendedorismo rural, agricultura familiar e a criação de um sistema local participativo de crédito no município do Bungo. Este município é caracterizado por uma forte componente agrícola de produção, cuja principal actividade é a venda em pequena escala de produtos agrícolas nos mercados e produtos alimentares industriais importados nas cantinas. Já foram identificadas as principais dificuldades de produtores e vendedores do município como sendo a falta de capital para investir no negócio, de acesso a crédito e de uma rede comercial de armazéns e lojas que permita comprar e escoar produtos a grosso. É também de salientar a falta de indústrias de transformação e necessidade de capacitar os vendedores em técnicas comerciais e transmissão de informação aos vendedores e compradores sobre oportunidades de negócio.

O principal foco do projecto CDAIS, foi a componente da agricultura familiar e reforço das associações de produtores. Nesta actividade participaram actores provenientes de diferentes sectores do sistema agrário, relativos à componente em causa, nomeadamente, produtores, unidade de transformação, venda, extensão rural, representantes da associação de produtores de amendoim, mandioca e hortícolas e direcção do projecto.

img_1477Os vários resultados estão em processo de análise tendo em vista a elaboração de um relatório.

Na parceria de inovação “Reforço das associações de produtores de mandioca, amendoim e hortícolas”, a actividade foi desenvolvida pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Portugal, que apoiou um facilitador nacional de inovação, pertencente à instituição Fundação Africana para a Inovação. A actividade contou ainda com a colaboração da JMJ Angola consultadoria e da Administração Municipal do Bungo.

O levantamento das competências necessárias à inovação dos sistemas agrários é um dos pontos chave do projecto CDAIS e está a ser realizado em 8 países piloto, sendo esta actividade coordenada pela Agrinatura, através do seu Ponto Focal para o país.

 Curso dos Facilitadores Nacionais de Inovação em Angola – CDAIS

Entre os dias 3 e 6 de Outubro. realiza-se no Campus da Chianga, Huambo, o curso de Facilitadores Nacionais de Inovação, no âmbito do projecto CDAIS – Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários.

Neste curso participam 11 formandos pertencentes às seguintes instituições: Instituto de Investigação Agrária, Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos, Projecto Terra do Futuro, Instituto Nacional do Café de Angola, Fundação para a Inovação Agrícola (AIF) e da Administração Municipal do Bailundo.

A formação é coordenada pela Agrinatura, através do seu Ponto Focal para o CDAIS em Angola, que pertence ao Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Portugal, e conta com a colaboração da Coordenadora Global do Projecto, do Centro Internacional para a Investigação Agrícola (ICRA), Holanda, e ainda com a Gestora Nacional do CDAIS, da FAO.

O projecto CDAIS é uma parceria global, financiada pela União Europeia e implementada conjuntamente pela Agrinatura, um consórcio de 31 Universidades europeias que funciona como o órgão técnico da União Europeia na área da agricultura para o desenvolvimento, e a FAO, Organização para Agricultura e Alimentação, das Nações Unidas. O projecto CDAIS pretende contribuir para a segurança alimentar, nutrição e agricultura sustentável e actua a três níveis: – a nível global, promovendo um mecanismo global de partilha, coordenação e avaliação de competências para o desenvolvimento, – a nível nacional, estimulando a coordenação de políticas e planos nacionais para apoiar os sistemas de inovação agrária, e – a nível local, apoiando parcerias de inovação, seleccionadas de acordo com critérios gerais e específicos, validados por actores chave dos sistemas agrários nacionais.

O Curso de Facilitadores Nacionais é um dos pontos chave do projecto CDAIS, e visa preparar os facilitadores para a realização do Levantamento de Competências Necessárias, nas parcerias de inovação seleccionadas, e será o próximo passo do CDAIS. Este levantamento de competências precede a formulação de um Plano de Acção cujo objectivo é melhorar a eficiência das acções de desenvolvimento de competências, através de ciclos iterativos de aprendizagem, no âmbito das parcerias de inovação.

 

 

 

 

 

Huambo: Incidências da produção agrícola local debatida em Workshop

As incidências da produção agrícola da província do Huambo e sua influência no processo de diversificação da economia nacional foram debatidas hoje (quarta-feira) durante o Workshop SKAN, sobre investigação, tecnologia e inovação no sector agro-alimentar.

O evento foi promovido pela Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos, o Instituto de Investigação Agrária e o INOVISA, instituição afecta ao Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa (Portugal).

No decorrer do Workshop, os participantes analisaram os níveis actuais e propostas de produção de cereais, hortícolas, citrinos e de animais, com o propósito de revitalizar o sector agrícola e pecuário nesta região.

2016-03-09 13.28.08

Fonte: http://www.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/noticias/economia/2016/2/10/Huambo-Incidencias-producao-agricola-local-debatida-Workshop,7f5b0a68-9733-4cd4-85c8-86f8e36569ae.html