WORKSHOP DE VALIDAÇÃO DO PLANO DE MENTORIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A INOVAÇÃO DOS SISTEMAS AGRÁRIOS, NO ÂMBITO DO PROJECTO CDAIS

Realizou-se nos dias 5 e 6 de Abril, no Campus do Instituto de Investigação Agronómica (IIA) e da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos, na Chianga, Huambo, o Workshop de Validação do Plano de Mentoria para o Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários, no âmbito do projecto de Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários – CDAIS, lançado nesta mesma cidade, em Maio de 2015.

Esta actividade contou com a presença de S. Exa Sr Director Provincial da Agricultura, Prof. António Teixeira, que participou activamente dos trabalhos, e ainda com representações dos Srs Administradores dos Municípios do Huambo e Bailundo. No total, estiveram presentes 46 pessoas.

O projecto CDAIS, com a duração de 4 anos, é financiado pela União Europeia e implementado conjuntamente pela Agrinatura, um consórcio de 31 universidades europeias que funciona como o órgão técnico da União Europeia na área da investigação agrária para o desenvolvimento, a FAO, Organização para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas e o Ministério da Agricultura de Angola, representado pelo IIA.

 

O objectivo principal deste projecto é contribuir para a segurança alimentar, nutrição e agricultura sustentável, através da inovação dos sistemas agrários. Decorre em Angola e em 7 outros países de África, América Latina e Ásia, promovendo o desenvolvimento de competências funcionais e, também técnicas, para ajudar a satisfazer as exigências dos diferentes actores do sistema agrícola nacional, tomando em consideração as suas diferentes dimensões: as pessoas, as organizações e o ambiente.

 

O Workshop foi antecedido de um evento preparatório, que reuniu as 3 pré-parcerias de inovação, em que será implementado o referido Plano de Mentoria, para devolver às mesmas as conclusões da fase de levantamento de competências necessárias, levada a cabo no final de 2016, e apresentar a

 

proposta formativa para responder às necessidades identificadas. Houve oportunidade de discussão sobre o documento apresentado, que foi validado pelos presentes, e foram feitas algumas sugestões no sentido do seu aprimoramento. Foi, também, momento para melhorar a caracterização de cada parceria.

Durante o Workshop de Validação, propriamente dito, os representantes das parcerias tiveram ocasião de as apresentar a um painel de peritos do sistema agrícola nacional, composto por representantes do CODESPA, DW, FCA, FMV, IDA, IIA, IIV, INCA, SENSE. A equipa de facilitadores de inovação apresentou, ainda, o Plano de Mentoria. Membros das parcerias e painel de peritos trabalharam em grupos, utilizando metodologias participativas, discutindo e recolhendo recomendações para a sua concretização.

O Plano de Mentoria foi aprovado pelos presentes, com a sugestão de que possa ir sofrendo alguns ajustes ao longo do período de implementação, em diálogo com as parcerias.

 

Intervenções destaque:

“Tem que haver uma mentalidade que se adeque às novas necessidades e realidades.”

António Teixeira, Director Provincial da Agricultura, Huambo

 

“É importante que novos parceiros venham completar as parcerias.”

Fátima Nascimento e Edgar Somacumbi, líderes das parcerias Arroz e Empreendorismo Rural, respectivamente.

 

“As parcerias que aqui estão têm objectivos comuns.”

Manuel Ferramenta, parceria Sementes

 

Algumas recomendações do grupo técnico:

– Esclarecer melhor o conceito de parceria.

– Incluir um tópico de aconselhamento/assistência jurídica.

– O plano de mentoria deve terminar com a elaboração de um plano estratégico para cada parceria.

– Será importante haver alguém de nível intermédio, disponível para apoiar cada parceria.

 

Trabalhos em grupo e em plenário.

 

Foto de família.20170406_151411

Sessões de treinamento em técnicas de produção de arroz para as FCA da UniLúrio e da UJES

Por Arlindo Matsinhe, técnico do IRRI

No âmbito da parceria entre o IRRI, Faculdade de Ciências Agrárias-UNANGO, Faculdade de Ciências Agrárias-HUAMBO, Instituto de Investigação Agronómica de Huambo e Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, que visa analisar o potencial e a adaptabilidade de variedades de arroz, foi realizado duas sessões de treinamento na Estação Agrária de Umbeluzi na provincia de Maputo. As duas sessões de treinamento tinham como objectivo capacitar os formandos na parte teórica e prática sobre as técnicas de produção de arroz, desde a sementeira até pós-colheita.

  • A primeira sessão de treinamento decorreu entre os dias 07 à 10 de Março de 2017 com participação de 3 formandos, sendo dois estudantes finalistas e um assistente universitário provenientes da Faculdade de Ciências Agrárias-UNANGO
  • A segunda sessão decorreu entre os dias 20 à 24 de Março de 2017 donde estiveram presentes dois técnicos e uma docente, sendo dois da FCA-Huambo e um do IIA.

 

Imagens dos treinos

Treino dos formandos do IIA e FCA-UJES, Angola. Ao alto, demonstração da altura da planta pela técnica da FCA; de cima para baixo, contagem dos números de filhos, prática da debulha das panículas e amostragem dos grãos cheios e chochos, foto familia dos formandos da FCA-Ujes e IIA com os formadores.

 

Treino dos formandos FCA-UniLúrio, Moçambique. Ao alto, medindo o comprimento das panículas; de cima para baixo, demonstração da selecção das 30 panículas como parte das componentes de rendimento;  contagem dos números de filhos, discussão entre os formandos e os técnicos do IRRI sobre algumas doenças de arroz, explanação das actividades de melhoramento levadas a cabo pelo IRRI.

Visita de acompanhamento aos ensaios de arroz dos Campos experimentais da Chianga (IIA) e da Fazenda Ngongoinga (FCA-UJES)

De 05 a 09 de dezembro de 2016, realizou-se uma visita de acompanhamento dos campos experimentais de arroz na Chianga e na fazenda Ngongoinga, respetivamente do Instituto de Investigação Agronómica de Angola (IIA) e da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade de José Eduardo do Santos (FCA-UJES), Huambo, Angola, no âmbito do projecto “Developing Sustainable Rice production in Angola”, que estas instituições têm vindo a desenvolver em colaboração com o ISA-ULisboa e o IRRI.

Esta parceria contempla a realização de dois ensaios em dois campos experimentais, para averiguar a adaptabilidade de 12 variedades de arroz, 10 selecionados pelo IRRI e 2 variedades testemunha, para as condições edafoclimáticas do planalto central angolano.

A missão incluiu a visita aos dois campos experimentais e o encontro com os respetivos responsáveis, por forma serem observados, analisados e discutidos o estado atual dos ensaios, eventuais problemas, definidas e programadas eventuais medidas a adotar.

Das visitas realizadas, foram identificados problemas mais ou menos gravosos em cada um dos campos experimentais, em resultado dos quais se adotaram soluções corretivas e de recuperação, nomeadamente:

  • A manutenção do ensaio de arroz de regadio do campus da Chianga, apenas com algumas recomendações ao nível da fertilização e da rega;
  • A recuperação do ensaio de sequeiro do campus da Chianga, com a transplantação das plântulas viáveis existentes;
  • Eliminação do ensaio de sequeiro da Fazenda Ngongoinga, considerando o reduzido número de plantas viáveis disponíveis para fazer a transplantação;
  • Recuperação do ensaio de regadio da Fazenda Ngongoinga, através da transplantação das plântulas viáveis existentes, após sacha e renivelamento do fundo dos canteiros; e
  • Considerando a elevada condutividade hidráulica dos solos nos dois campos experimentais, a adoção da rega intermitente por alagamento.

 

Da esquerda para a direita e de cima para baixo: Campos experimentais: Chianga. Aspeto do ensaio de regadio. Chianga. Transplantação no ensaio de sequeiro. Fazenda Ngongoinga. Trabalhos de Arranque do arroz, Sacha e renivelamento do fundo do Canteiro. Fazenda Ngongoinga. Transplantação no ensaio de regadio. Rega após a Transplantação.

Presenting CDAIS-AO progress @ the Agri-chains and sustainable development 2016 conference

CDAIS Agrinatura focal person for Angola and Oliveira Paulo, national innovation facilitator trained and hired for the project presented and discussed methodologies and achievements of the project in Angola.

agri-chains

Poster poster_acsd_anav2

Extended abstract ext-abstract-cdais-angola

TropiKMan PhD 2017-18, concurso aberto

Está aberto concurso para a atribuição de 9 bolsas de doutoramento FCT, no programa Tropical Knowledge and Management. Este programa é acolhido pela Nova SBE e oferecido em consórcio por duas universidades portuguesas e quatro africanas. Conta com o apoio institucional da CPLP.

Consulte aqui o edital edital_tkm_fct201718v3

Para mais informações, visite também

http://www.novasbe.unl.pt/en/programs/phd-in-tropical-knowledge-and-management/overview

 

Variedades de arroz do IRRI testadas em Angola

No âmbito da parceria ISA-ULisboa, FCA, IIA e IRRI, que visa analisar o potencial e a adaptabilidade de algumas variedades de arroz, foi realizado uma visita de trabalho em Angola na provincia de Huambo, entre os dias 07 e 11 de Novembro de 2016. Esta missão tinha como principal objectivo ajudar e trocar experiência com os técnicos do Instituto de Investigação Agronómica e da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos, na técnica de sementeira directa de variedades de arroz. Para além disso, houve treinamento dos agricultores locais nas técnicas de sementeira directa e marcação de linhas para sementeira de ensaios.

Nesta primeira fase da missão estiveram envolvidos dois técnicos do IIA e 8 agricultores enquanto que do lado da FCA estive um monitor e 12 agricultores.

Este trabalho foi realizado em dois campos de experimentação no IIA e FCA, tendo sido plantadas 12 variedades, das quais 10 vindas do IRRI e 2 locais usadas como testemunhas. Para cada local, plantaram se as 12 variedades para o sistema irrigado e sistema sequeiro.

Abaixo, as imagens sobre a capacitação da sementeira directa e marcação de linhas.

 

Campo de Ngoingoima (FCA): da esquerda para a direita e de cima para baixo – antes da sementeira, marcação das linhas, semeando, depois de semear, foto de grupo.

Campo da Chianga (IIA): antes da sementeira,  semeando, depois de semear, foto de grupo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

por Arlindo Matsinhe (técnico do IRRI)

Levantamento de competências na parceria de inovação “Cooperativa Sementes do Planalto”

No âmbito do projecto CDAIS, decorre desde o dia 14 até ao dia 16 de Novembro de 2016, no Município do Bailundo, Província do Huambo, o levantamento de competências para a inovação dos sistemas agrários, na parceria de inovação “Cooperativa Sementes do Planalto”.

Desde o primeiro dia, contou-se com a presença de 11 actores das seguintes instituições: ONG Codespa, IIA, SENSE, comunicação social (rádio Bailundo-apenas no 1º dia), cooperativas de agricultores, associações de agricultores, comprador de sementes, chefe de repartição municipal da agricultura do Bailundo.

O referido encontro decorre na sala de reuniões da Administração Municipal do Bailundo, facilitado pelo sr. Agnelo Miguel, coadjuvado pela Sra. Luisa Dovala e supervisionado pela Sra. Imaculada da Conceição. Dos actores presentes, 33% representa o género feminino.

Os participantes apresentam-se motivados e interessados a trabalhar em parceria, devido ao objectivo comum da “cadeia de valor das sementes” e tendo em conta a dificuldade em acesso às mesmas, no mercado Angolano, tanto em qualidade como em quantidade.

 

 

O CDAIS pretende contribuir para a segurança alimentar, nutrição e agricultura sustentável, actuando a três níveis: (1) global, promovendo um mecanismo global de partilha, coordenação e avaliação de competências para o desenvolvimento, (2) nacional, estimulando a coordenação de políticas e planos nacionais para apoiar os sistemas de inovação agrária, e (3) local, apoiando parcerias de inovação, seleccionadas de acordo com critérios gerais e específicos e validados por actores chave dos sistemas agrários nacionais.

Este projecto é uma parceria global, financiada pela União Europeia e implementada conjuntamente pela Agrinatura, um consórcio de 31 universidades europeias que funciona como o órgão técnico da União Europeia na área da agricultura para o desenvolvimento, a FAO, Organização para Agricultura e Alimentação, das Nações Unidas e o Instituto de Investigação Agronómica, em representação do Ministério da Agricultura de Angola.

 

Agnelo Miguel-Facilitador Nacional do CDAIS em Angola – Parceria “Cooperativa Sementes do Planalto” sementes.

Continua o Levantamento de competências para a inovação dos sistemas agrários em Angola: Projecto Desenvolvimento de arroz em Angola

Teve lugar de 8 a 10 de novembro, no Campus da Chianga, na Província do Huambo, o Workshop de Levantamento de Competências Necessárias à Inovação dos Sistemas Agrários na parceria de inovação: Projecto de desenvolvimento do Arroz em Angola, no âmbito do projecto CDAIS– Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários.

O projecto CDAIS pretende contribuir para a segurança alimentar, nutrição e agricultura sustentável e actua a três níveis: (1) a nível global, promovendo um mecanismo global de partilha, coordenação e avaliação de competências para o desenvolvimento, (2) a nível nacional, estimulando a coordenação de políticas e planos nacionais para apoiar os sistemas de inovação agrária, e (3) a nível local, apoiando parcerias de inovação, seleccionadas de acordo com critérios gerais e específicos e validados por actores chave dos sistemas agrários nacionais.

Nesta acção, participaram 11 actores do sector da agricultura local, a nível da produção, comercialização, extensão rural (IDA e ADRA), investigação (IIA) e academia (FCA). Os trabalhos do workshop decorreram sob a orientação dos 3 facilitadores nacionais de inovação, treinados pelo projecto e acompanhados pelo ponto focal da Agrinatura.

2016-11-09-13-50-552016-11-10-11-59-16

Pretendeu-se proceder à identificação das competências necessárias à inovação dos sistemas agrários, na parceria do arroz, para formular um Plano de Acção de desenvolvimento de competências, a implementar junto desta parceria. Uma das primeiras acções, identificadas pelos actores presentes, será a criação do mecanismo de coordenação da parceria.

O projecto CDAIS é uma parceria global, financiada pela União Europeia e implementada conjuntamente pela Agrinatura, um consórcio de 31 universidades europeias que funciona como o órgão técnico da União Europeia na área da agricultura para o desenvolvimento, a FAO, Organização para Agricultura e Alimentação, das Nações Unidas e o Instituto de Investigação Agronómica, em representação do Ministério da Agricultura de Angola.

Reforço das Associações de Produtores de mandioca, amendoim e hortícolas no Bungo, Uíge – LCN CDAIS-Angola

Entre os dias 26 e 28 de Outubro 2016, realizou-se no Bungo, província do Uíge, Angola, o levantamento de competências necessárias na parceria de inovação “Reforço das associações de produtores de mandioca, amendoim e hortícolas”, no âmbito do projecto CDAIS – Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários.

A parceria de inovação seleccionada relaciona-se com a implementação de um projecto-piloto, que teve início em 2013, sobre desenvolvimento integrado e sustentável, e inclui nas suas componentes o apoio ao empreendedorismo rural, agricultura familiar e a criação de um sistema local participativo de crédito no município do Bungo. Este município é caracterizado por uma forte componente agrícola de produção, cuja principal actividade é a venda em pequena escala de produtos agrícolas nos mercados e produtos alimentares industriais importados nas cantinas. Já foram identificadas as principais dificuldades de produtores e vendedores do município como sendo a falta de capital para investir no negócio, de acesso a crédito e de uma rede comercial de armazéns e lojas que permita comprar e escoar produtos a grosso. É também de salientar a falta de indústrias de transformação e necessidade de capacitar os vendedores em técnicas comerciais e transmissão de informação aos vendedores e compradores sobre oportunidades de negócio.

O principal foco do projecto CDAIS, foi a componente da agricultura familiar e reforço das associações de produtores. Nesta actividade participaram actores provenientes de diferentes sectores do sistema agrário, relativos à componente em causa, nomeadamente, produtores, unidade de transformação, venda, extensão rural, representantes da associação de produtores de amendoim, mandioca e hortícolas e direcção do projecto.

img_1477Os vários resultados estão em processo de análise tendo em vista a elaboração de um relatório.

Na parceria de inovação “Reforço das associações de produtores de mandioca, amendoim e hortícolas”, a actividade foi desenvolvida pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Portugal, que apoiou um facilitador nacional de inovação, pertencente à instituição Fundação Africana para a Inovação. A actividade contou ainda com a colaboração da JMJ Angola consultadoria e da Administração Municipal do Bungo.

O levantamento das competências necessárias à inovação dos sistemas agrários é um dos pontos chave do projecto CDAIS e está a ser realizado em 8 países piloto, sendo esta actividade coordenada pela Agrinatura, através do seu Ponto Focal para o país.

Começou a fase de Levantamento de Competências Necessárias à Inovação dos Sistemas Agrários em Angola – CDAIS

Entre os dias 26 e 28 de Outubro, realiza-se no Bungo, província do Uíge, o Workshop de Levantamento de Competências Necessárias à Inovação dos Sistemas Agrários na parceria de inovação: Reforço das associações de produtores de mandioca, amendoim e hortícolas, no âmbito do projecto CDAIS – Desenvolvimento de Competências para a Inovação dos Sistemas Agrários.

Nesta acção participam 13 actores do sector da agricultura local, a nível da produção, transportes, distribuição, transformação, extensão rural, assim como representantes de associações de produtores e da parceria de inovação. Os trabalhos do workshop decorrem sob a orientação de um facilitador nacional de inovação, que pertence à instituição Fundação Africana para a Inovação, com sede em Angola, em Luanda, e de uma colaboradora da Agrinatura, do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, sendo o apoio logístico assegurado pela JMJ consultadoria.

image1

O levantamento das competências necessárias para a inovação dos sistemas agrários é um dos pontos chave do projecto CDAIS. Os trabalhos no terreno estão a ser coordenados pela Agrinatura, através do seu Ponto Focal em Angola, que pertence ao Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, Portugal, e conta com a colaboração de vários facilitadores nacionais de inovação, provenientes de diferentes organizações Angolanas. As actividades decorrem em articulação e com o apoio da FAO e do IIA.

Através de metodologias participativas, baseadas em exercícios interactivos, pretende-se captar as opiniões de todos os actores que fazem parte da parceria de inovação. O objectivo é a posterior formulação de um Plano de Acção cuja meta é melhorar a eficiência das acções de desenvolvimento de competências, através de ciclos iterativos de aprendizagem, no âmbito das parcerias de inovação.

O projecto CDAIS é uma parceria global, financiada pela União Europeia e implementada conjuntamente pela Agrinatura, um consórcio de 31 universidades europeias que funciona como o órgão técnico da União Europeia na área da agricultura para o desenvolvimento, e a FAO, Organização para Agricultura e Alimentação, das Nações Unidas. O projecto CDAIS pretende contribuir para a segurança alimentar, nutrição e agricultura sustentável e actua a três níveis: (1) a nível global, promovendo um mecanismo global de partilha, coordenação e avaliação de competências para o desenvolvimento, (2) a nível nacional, estimulando a coordenação de políticas e planos nacionais para apoiar os sistemas de inovação agrária, e (3) a nível local, apoiando parcerias de inovação, seleccionadas de acordo com critérios gerais e específicos e validados por actores chave dos sistemas agrários nacionais.